Menu

Seguidores

Conheça nosso site oficial



O Dia Mundial dos Animais surgiu em 1931 em Florença, Itália. A idéia inicial criada por ecologistas, era a preocupação com os animais em extinção. O dia não podia ser outro senão o 04 de outubro, dia de São Francisco de Assis, patrono dos animais e mais recentemente também patrono da ecologia, isto porque em todos os tempos foi o santo que mais entendeu toda a criação de Deus, desde as criaturas inanimadas até os animais mais perfeitos e belos. Com o passar do tempo, com o aprofundamento do estudo da ética e de várias ciências ligadas à natureza, a idéia de certa forma romântica do início, ganhou peso e base científica chegando no momento a ser encarada como uma questão de sobrevivência da humanidade. Não é mais possível desvincular a destruição do planeta ao uso da indústria de exploração animal.
Quanto mais o homem explora e destrói os animais mais a natureza castiga o homem. A devastação das florestas para cria de animais de corte provoca o desequilíbrio ambiental cuja resposta vem em forma de enchentes, furações, maremotos, degelo dos pólos e muitos outros flagelos semelhantes. A própria ingestão da carne dos animais provoca o maior número de doenças e morte e despesas imensas na área da saúde. De um lado, o homem comum, voltado para outros interesses, não passa nem perto desse entendimento e, portanto continua abastecendo-se de carne, por outro, a indústria milionária da carne e derivados, mostra em suas embalagens uma imagem romântica e bucólica de vaquinhas pastando tranquilamente no pasto. Jamais deixam transparecer os sofrimentos pelos quais esses animais passam e matadouros é uma palavra que não existe para essa gente.
Por outro lado, é cada vez maior em todo o mundo o número de defensores dos animais. Pessoas muito adiante em seu tempo, sensíveis, profundamente honestas consigo e com a criação. Cada uma a sua maneira, chegam a entender e participar da defesa dos animais, muitas delas inclusive com sacrifício de seus empregos, salários, família, e tudo mais em favor desse pensamento e maneira de ser voltado para a defesa desses nossos irmãos de outra espécie.
Entre os defensores surgem os mais variados grupos. Desde a dona de casa que procura um novo lar para algum cão abandonado até jovens que tiram as roupas em praça pública para manifestar sua indignação contra touradas. Há outros ainda mais ousados como o pessoal do Sea Shepherd e Greenpeace que atacam navios em loucas aventuras contra a matança de baleias, focas e outros animais. O que tem em comum todos esses grupos é uma única palavra, infelizmente ainda pouco conhecida da população: “A senciência”, isto é, a capacidade de os animais sentirem dor, medo, prazer, alegria e estresse, memória, inteligência e até saudade. Isto significa para qualquer pessoa inteligente, “que pelo visto parece ser a minoria”, que maltratar, aprisionar, explorar ou matar um animal é um crime tão horrendo quanto matar um ser humano.
O lado trágico dos animais é promovido pelo homem e o lado bom do homem é promovido pelos animais que só lhes dão alegria e satisfação. Quantas pessoas idosas tem num animal sua única companhia e conforto, quantas crianças tem no animal um estímulo para o carinho e o bom caráter. Quantos já foram salvos por animais em desabamentos e catástrofes das mais diversas, quantos são os animais de guarda e de companhia, enfim, o bem que os animais proporcionam é imenso ao mesmo tempo em que o mal promovido pelos homens aos animais parece ser ainda maior. A indústria da morte animal, verdadeiro holocausto legalizado aonde milhões vão diariamente ao matadouro unicamente porque são vistos como geradores de riquezas e não como vidas que sentem o mesmo que os humanos. Leonardo Bezerra
COMEMORAÇÕES NO BRASIL
Entre as várias comemorações nas entidades protetoras, escolas e outros meios, algo muito importante para esse dia será o lançamento de um vídeo pela WSPA. Eis a explicação dada no site da referida entidade:
“O vídeo, de 52″ (cinqüenta e dois minutos), procura mostrar que, de acordo com as mais recentes pesquisas científicas, os animais são seres sencientes, e não máquinas destinadas a nos servir. E isso se aplica a todos os animais vertebrados (mamíferos, aves, répteis, anfíbios, peixes). Para transmitir esses conceitos, o documentário conta com a participação dos maiores especialistas em bem-estar animal do Brasil e do mundo, que falam de maneira clara e didática sobre os animais (de companhia, de produção, selvagens, de entretenimento, etc.).
O lançamento se dará entre os dias 4 e 11 de outubro por todo o Brasil, através de atividades promovidas por nossas ONGs afiliadas distribuídas nos diversos estados do país. No Rio de Janeiro, onde está o escritório da WSPA no Brasil, ele será exibido na sala de cinema da Universidade Cândido Mendes em Ipanema. Será no dia 09, às 20h, ocasião em que haverá um debate sobre o tema.”

COMO VOCÊ PODE PARTICIPAR DA SEMANA DOS ANIMAIS
Se você não tiver tempo para ir a alguma exposição, manifestação ou evento promovido pelas ONGs, comece aqui mesmo em nosso Jornal assinando todas as petições que estão na coluna ao lado, sobre defesa dos animais. Você pode também participar da campanha em favor da Declaração Universal do Bem Estar Animal. Se você der esse passo já terá feito algo belo pelos animais.
Fonte: http://jornalanimais.blogspot.com/2008/10/dia-mundial-dos-animais-04-de-outubro.html

2 comentários:

SERJAO_O_MARMANJJUS disse...

sinceramente eu não gosto muito de bicho,
só que eu não tolero violencia contra eles,
eu não gosto mas não maltrato os animais.
tem muita gente que bate em cachorro, e faz outras maldades com outros bichinhos.
eu já não curto isso.

Anônimo disse...

Que gesto maravilhoso este seu de publicar tanta verdade. Será que um dia o ser humano vai entender que tudo o que foi criado neste mundo tem o mesmo valor? Eu amo muito animais, e sinto que somos seus semelhantes e que viemos todos para este planeta para conviver em harmonia. É claro, todas as catástrofes que acontecem, advem de toda essa coisa absurda de superioridade do ser humano.
Parabéns pela matéria!!!